Saturday, November 18, 2006

Tokusan, Jung e o pulo do gato.


Haja resistência. Quem resiste? O ego, esse usurpador. Tirar do falso centro e redimensionar a consciência é uma tarefa zen. Não o zen tupinicóide, "tipo assim" Mano Caê, mas o zen dos mestres autênticos. Por exemplo, o de Tokusan:

TOKUZAN ESTAVA ESTUDANDO ZEN COM RYUTAN.
UMA NOITE, TOKUSAN VEIO A RYUTAN E LHE FEZ MUITAS PERGUNTAS.
O INSTRUTOR DISSE:
“JÁ E TARDE DA NOITE. POR QUE NÃO SE RETIRA?”
TOKUSAN INCLINOU-SE E, AO ABRIR A CORTINA PARA SAIR, OBSERVOU:
“ESTA MUITO ESCURO LÁ FORA.”
RIYUTAN OFERECEU-LHE UMA VELA ACESA PARA ENCONTRAR SEU CAMINHO.
MAS, LOGO QUE TOKUSAN A RECEBEU, RYIUTAN ASSOPROU-A. NESTE MOMENTO, A MENTE DE TOKUSAN ABRIU-SE.

Problema delicado: abrir mão de uma auto-ilusão, render-se, tornar-se servo, deixar de ser... escravo. Parece complicado, mas não é. Trata-se de silêncio interior, esforço em busca do si-mesmo. Quem sabe, lendo Jung... Talvez o movimento do papa-mosca na parede ou o pulo do gato! O pulo do gato, uma perfeição.
Na dúvida, vejam Lisa Simpson ensinando Zen ao irmão, Bart.

Marx, o Groucho

1 comment:

Claudia said...

Marx, vc já leu Nisargadatta Maharaj ou Ramana Maharshi?

Pelo seu post acho que iria gostar. Se tiver tempo, dê uma olhada nos links deles lá em casa. Vc lê bem em inglês, portanto não terá problemas.

O livro dele 'I Am That' foi um turning point em minha vida, recomendo!
beijos