Friday, April 20, 2007

Franklin Martins: o com-TV.

Imagem: Franklin Martin - é bom estar do lado do poder - .
Ok, já sabemos que o objetivo de Franklin Martins é o mesmo de Lula, Pink e Cérebro: dominar o mundo. Ele, assim como vários esquerdistas brasileiros, acredita que o início desta grande cruzada é destruir as organizações Globo. Alguma espécie de frustração, um ódio-amor, sei lá o que move essa gente. No caso de Franklin Martins é despeito mesmo, tomou um pé da emissora no ano passado. Mas acho entre cômico e ridículo. Sabe aquele slogan idiota - o povo não é bobo, abaixo a rede Globo - ? Bem "forum social" não?
Para justificar a rede pública, entre outras pérolas, o Sr. Martins me saiu com essa:
Por que não podemos ter um programa que nos fale sobre a África? Pelo menos 30% do povo brasileiro vêm da África. Por que nenhum telejornalismo no Brasil tem um correspondente num país africano? A TV comercial é obrigada a trabalhar buscando o grande público — disse.
Uau! Agora entendi porque o Franklin Martins foi defenestrado da Tv privada: ele não tem o menor jeito para a coisa. Se ele acha que o grande público está realmente interessado num programa sobre a África, então é porque não entende nada de audiência, público, televisão. Sempre falo sobre a cultura do ressentimento: se não posso ter eu odeio. Franklin não pode se manter na TV privada, então resolveu criar uma TV só para ele.
So sweet!!!! Diga-se de passagem que já tive o prazer de trabalhar numa editora que editou um livraço sobre a África. Era o nosso pior encalhe. Tudo bem que isso não prova nada, mas precisam ver a cara de paisagem que as pessoas fazem quando indico este livro. Ninguém está nem aí para a África, isso inclui os afro-descendentes. Principalmente o público de televisão que, em geral, não está muito aí para a cultura. Quer entretenimento mesmo. O que significa dizer sem paternalismo boçal: o que diabos a África tem a oferecer em termos de programa de entretenimento, ou mesmo como entretenimento em si ( afora a belíssima paisagem)? Mesmo sendo a cultura Africana riquíssima, como de fato é, alguém assiste programa de cultura aqui? Será que ele acha que programa de cultura dá audiência? O tal "grande público" também não está nem aí para a cultura. Um programa sobre as riquezas culturais da África teria 0 de audiência. Editoras de cultura, como Ateliê Editorial, Paraula etc estão sucumbindo por falta absoluta de público. O que vende mesmo é Paulo Coelho.
Sabe, ficaria muito curiosa para ver a audiência desta TV se não soubesse que ela vai ser feita
com a nossa grana. Nó nos matamos de trabalhar para sustentar esta porcaria de governo que só pensa em marketing e mesmo quando pensa nisso é incompetente. Tão incompetente a ponto de dar uma TV a quem não entende nada do assunto.
O que recebemos em troca de nossos caros impostos? Saúde, segurança, educação? Não, recebemos propaganda e frases estúpidas de efeito ( ou por outra, só fazem efeito em retardados).
Quanto vai custar essa farra? Em vez de implementar esse lixo por que não diminuir a CPMF?
Eu sei porque eles querem tanto fazer esta "coisa". Agora toda a "cumpanherada" vai poder dizer que trabalha na televisão.
Vai ter bastante emprego para todas essa gente.
Caramba, essa TV vai ser....
Oriane

2 comments:

Clau said...

Eles vão andar por aí que nem o bozo, mostrando o crachá da Rede Bobo!

Programa sobre a África - sejamos honestos - só tem ibope no Animal Planet. O resto é Darfur e similares.
Que lógica idiota achar que 'afro-descendentes' gostariam de ver programas sobre a África. O povo quer é BBB com gente bonita - e loira!

PATRICIA M. said...

Isso, programa sobre a Africa so no Discovery Channel, haha, dai eu assisto...