Wednesday, December 20, 2006

Colher de chá para William...


Para William, um dos nossos 400 leitores diários, a verdadeira história de Lady Godiva...

Well, para variar, essas histórias acabam tendo um pé na velha e fascinante Inglaterra. Lady Godiva existiu mesmo, viveu muito tempo em Coventry, cidade que remonta aos primórdios da era cristã, um lugar repleto de lendas, inclusive a que narra o encontro de São Jorge e o Dragão, olhem só que bonitinho!
Por ter nascido "no tempo em que os bichos falavam" - homenagem ao Tio Janjão, que contava histórias para crianças na saudosa Rádio Nacional, na década de 50! -, Godiva não conhecia as AbFabs, mostrando-se, porém, de ultravanguarda, pois deu mais auxílio à educação e às artes do que todos os ministérios tupinicóides juntos, imaginem! Mais do que isso, a mulher era a favor da ... DIMINUIÇÃO DOS IMPOSTOS!!! Pasmem! Ela, que nasceu rica, casou com o também riquíssimo Leofric, Conde de Mercia - ô nomezinho danado, hein??? Os dois eram muito religiosos, construíram montes de mosteiros e abadias. Apesar dessa veia espiritual, o ilustre marido desandou a elevar taxas e impostos em nome do que ele chamava de o bem coletivo - percebem como esse perigoso argumento é caquético de tão antigo? Godiva chiou porque achava que eles deveriam cuidar mais da alma do povão, causando, com tal protesto, problemas no casamento. Não era o máximo, essa mulher medieval, morta - parece - em 1086?
Agora, o detalhe fundamental da história: Leofric, diante da insistência da mulher, desafiou-a a sair nua pela cidade, demonstrando a importância da ESTÉTICA sobre tudo o mais, com base nas idéias gregas de que o Belo era, naturalmente, uma expressão da Divindade e que, portanto, não deveria ser escondido. Godiva nem piscou: pegou um cavalo e saiu desfilando pelas ruas, como se estivesse na Ala da Baianas da Portela. Um show! Ninguém disse um "ai", a criatura era belíssima e, como já se sabia, caridosa, sábia e tudo mais que havia de bom para os padrões cristãos medievos. Honestíssimo, o maridão ACABOU com os impostos, exceto o referente à compra de... cavalos! O humor inglês é imbatível...
Claro que o relato é um tanto lendário, mas a Lady e seu marido, não. Palmas, palmas! Chamem a Hebe Camargo!

Comentários: fantástica a constatação de que a lenga-lenga que tanto absorve os cérebros mudernos nada tem de "atual", pois é "mais velha do que a Sé de Braga", senão vejamos: individual versus coletivo, matéria versus espírito and so on... Outra coisa: reparem como a zelite da época agia em prol das "classes menos privilegiadas", divergindo apenas nos meios de fazer o melhor por elas. Os relatos de "nobres pouco nobres" - lembram do João-sem-terra, patrono do MST e inimigo de Robin Hood? - são muito raros, exatamente porque o vocábulo "nobreza" exprimia, originalmente, o cultivo das melhores qualidades humanas. Seu sentido foi distorcido, como o de tantos outros, pelos mestres da Língua de Pau, como já estamos carecas de saber. Ah, Godiva, pelas excelsas qualidades, inspirou o nome do famoso chocolate que encanta paladares exigentes. E mais: ela nunca pôs os pés em Bienais.

O nome Godiva é latino, provável tradução de Godgyfu, vocábulo inglês, algo como dádiva ou presente de...Deus!
Imagem: estátua de Lady Godiva em Broadgate, Coventry.

Marx, o Groucho
.

4 comments:

william said...

Não me fala em 400 que eu lembro do Reinaldo reproduzindo a fala daquele modista da Dona Lu Alckmin: "Q u a - t r o - c e n - t o s". Vc consegue imaginar um desses modistas falando 400 desse jeito? hahahaha Eu morro de rir! Deve ser engraçado!

Ah. Olhei na Wikipedia :P

william said...

ah... e seria bom que belas ruivas protestassem assim contra a espoliação do contribuinte. A burocracia não é mais do que um bando de salteadores que afirma ter ao seu lado a norma hipotética fundamental. O Estado rouba sem nem correr os riscos que os ladrões comuns correm... Que ódio!

Anonymous said...

Poxa, mas você não contou a história!!!!

Claudia said...

marx, você mostra-se uma bela contadora de histórias.

tive o prazer de conhecer Coventry e sua bela catedral - o que restou dela depois do bombardeio e a nova, construida em seu lugar - e a história da beldade.

não é à toa que os deliciosos chocolates têm seu nome.

ruivas protestando por aqui? hummmm, seria um festival de ruivas falsas, não só pela cor mas pelo protesto...

beijos