Tuesday, August 28, 2007

Paquetá e o efeito curativo do pôr do sol...



Amigos leitores, gostaria de me desculpar pela minha ausência. Modificações na vida amorosa, o suicídio de uma colega e uma negra depressão me impedem de fazer qualquer coisa, inclusive trabalhar. Estou melhorando aos poucos, com a ajuda dos amigos e algumas viagens estratégicas.

Sei que há muito preconceito com Paquetá. Mas é uma bela ilha onde os lugares mais maravilhosos não são vistos pelos turistas. Uma pena...

Oriane

Sunday, August 26, 2007

O avestruz continua não querendo ver: enfim, a máscara caiu!


Taí o link para o vídeo que definitivamente deixa escancarada a situação que vivemos em Banânia: http://www.youtube.com/watch?v=VNPjm0qfByc
Agora o que farão os avestruzes solipcistas, as polianas dengosas, os distraídos bocós, os pacifistas histéricos, toda a turma de antas, patologicamente orgulhosas da própria mediocridade existencial, que acham sempre que os outros é que são paranóicos e obsessivos, como os Olavos de Carvalho, os Reinaldos Azevedos, os Diegos Casagrandes, os Percivais Pugginas, todos os pouquíssimos "execráveis golpistas de direita"?
Sabem por que a petralhada se deu o luxo de permitir a divulgação desse vídeo? Porque a hora de rasgar a fantasia chegou, porque em sua avaliação estratégica nenhuma reação mais é possível em Banânia: Executivo, Legislativo e Judiciário estão na malha das pessoas que vêm tramando a tomada radical do poder há décadas, após um meticuloso trabalho de infiltração ideológica em praticamente todos os segmentos sociais desta porcaria de país. É um caso espetacular de imbecilização e hipnose em massa, o que só prova o quanto o ser humano é psiquicamente vulnerável. Releiam a análise de C.G.Jung sobre as condições psicológicas do povo alemão antes da ascensão do nazismo e vocês entenderão esse discurso. O texto já foi publicado neste blog. Aí vai novamente o trecho, para vocês não perderem tempo procurando a postagem de nome Jung para petralhas - mandem o Kaiser ler isto!, datada de 19 de novembro de 2006:

"Se considerarmos que nem todo homem mora psiquicamente numa concha de caracol, ou seja, que não vive longe dos demais e que seu ser inconsciente se acha ligado a todos os outros homens, então um crime nunca pode ocorrer de maneira isolada como pode parecer à consciência. Ele ocorre num âmbito bem mais vasto.

A sensação de todo crime provoca o interesse apaixonado pela perseguição e julgamento do criminoso, demonstrando que todo mundo, desde que não seja insensível ou apático, é excitado pelo crime.

Platão já sabia que a visão do feio provoca o feio na alma. É um fato inegável que o mal alheio rapidamente se transforma em mal, na medida em que acende o mal na própria alma. O assassinato acontece, dessa forma, dentro de cada um e de todos. Seduzidos pela fascinação irresistível do mal, todos nós possibilitamos, em parte, a matança coletiva em nossas mentes e na razão direta de nossa proximidade e percepção.

A esperança crescente no Estado não é um bom sintoma e significa na verdade que o povo está a caminho de se transformar num rebanho, o qual sempre espera de seus pastores um bom pasto. Logo o cajado do pastor se converte em vara de ferro e ele, o pastor, em lobo. Foi essa a impressão que se teve ao ver toda a Alemanha respirar aliviada diante de um psicopata megalomaníaco que disse: 'Eu assumo a responsabilidade'. Quem ainda tem algum instinto de autopreservação sabe que apenas um impostor pode assumir a responsabilidade pela existência do outro. Quem tudo promete e nada cumpre está em vias de se valer de expedientes escusos para cumprir a promessa feita, ou seja, manter a impostura, abrindo o caminho para uma catástrofe.(...)

Todos esses sintomas, a completa cegueira acerca do próprio caráter, a admiração auto-erótica de si mesmo, a depreciação e atormentação dos demais (com que desprezo Hitler falava de seu povo!), a projeção da própria sombra, a falsificação mentirosa da realidade, 'o querer impressionar' e se impor, os blefes e imposturas, reúnem-se naquele homem que foi dado clinicamente como histérico mas que um destino curioso transformou durante doze anos no expoente político, moral e religioso da Alemanha. Será isso um mero acaso? "
(C.G. Jung, in: Aspectos do drama contemporâneo, Vozes)

Imagem: o avestruz, novo logotipo de Banânia.

Marx, o Groucho

Tuesday, August 21, 2007

Palhaçadas perigosas


Do fundo de sua ignorância crônica - pela qual oPTou, sem hesitar, com o intuito de chegar ao poder -, nosso tonitroante Keiser tentou outra vez criar mais uma divisão nas "hostes inimigas", jogando a "classe" (???) dos palhaços contra meia dúzia de pessoas que descobriram que vaiar é democrático. Sim! Uni-vos, herdeiro do Carequinha! Pegai em armas! É hora de sentar a pua em quem usa vossa santa imagem em vão, ou melhor, seus santos narizes!
Olhem que graça desgraçada: Lula parece ignorar (isso foi um ato de delicadeza, hein?...) que os palhaços nos fazer rir justamente porque encenam uma divertida caricatura de um ser digno de dó, no mínimo, digamos assim, por causa de incapacidade de se conduzir existencialmente sem danos imediatos, a eles próprios e a terceiros.
Palhaços costumam imitar o que há de mais primitivo, tosco e debilóide nos humanos, mas de forma ácida, às vezes até sádica, dependendo do "palhaço" em questão. Por exemplo, nas historietas de Batman, seu mais perigoso inimigo, o Coringa, se apresenta como um palhaço extremamente cruel, um psicopata - no cinema, a figuraça foi imortalizada pela espetacular interpretação de Jack Nicholson.
Palhaços são adoráveis, sem dúvida, pela habilidade que têm de enxergar e caricaturar as mazelas humanas, pela graça especial com que fazem isso de maneira leve e descontraída. Charles Chaplin, por exemplo, ficou famoso por ter criado um tipo do palhaço universal, com jeito de eterno vagabundo, desprezado, aqui e ali, pelas gentes mais distraídas, quiçá egoístas, muitas vezes, perversas. Interpretava um desastrado compulsivo, um sujeito que nunca-dá-certo apesar de todo seu esforço para tal.
O que isso tudo tem a ver com a manobra diversionista de Lula quando foi vaiado por uns gatos pingados - heróicos - com nariz de palhaço? Ora, quem assume esse papel como protesto está dizendo que o governo petralha e seu picaresco chefete estão tentando fazer destepaiz um picadeiro sem nenhuma graça, um espaço onde as pessoas são tratadas como idiotas, incapazes, irresponsáveis, trapalhonas, tudo aquilo que os palhaços criticam quando se dirigem ao respeitável público, de forma humorística.

Senhor Molusco, a "ternura e a coisa boa" relacionadas aos palhaços está na capacidade que eles têm de criticar o que há de mais lamentável em nossas vidas inconscientes, não na idiotia em si, entendeu??? A imbecilidade, objeto por excelência da palhaçada, não é "legal", não é "boa", não desperta "ternura" em ninguém. Talvez só em idiotas autênticos, loucos varridos que se levam a sério. Como... adivinhe quem?

Imagem: Jack Nicholson, o definitivo Coringa, o palhaço bandidão e psicopata, em Batman.

Marx, o Groucho

Eram os deuses socialistas?


Um dos maiores pecados, sem dúvida, é a ânsia de não ter pecados. Jesus deu um suave "chaga pra lá" em Marta porque ela era politicamente correta demais em seus afazeres, enquanto sua irmã, Maria, gostava de ouvi-lO atentamente, num bate-papo aparentemente ocioso. Essência e aparência, essência e aparência...hehehe...

É básico para a compreensão dos mecanismos que movem a alma humana - e a literatura universal costuma atestar essa idéia - o embate entre o bem e o mal, tema que apresenta várias abordagens ao longo dos séculos. Uma delas, de cunho gnóstico, tem-se mostrado mais robusta do que as outras, por motivos obviamente psicológicos, e está na raiz da megalomania que denota aquela velhíssima tentação do Éden, no discurso da serpente que "aliciou" Eva: "Vós podeis ser como 'Ele'!" Não é lindo? A nossa cobrinha totalitária serve à Eva o manjar dos manjares, o método dos métodos: o poder, a igualdade em relação ao Criador. O que vemos aí? A mesma lenga-lenga que subjaz o texto esquerdopata: todo mundo "igual", o que é a isca para o bote do "ofídio rebelde" posto que mexe terrivelmente com a vaidade humana. Todo mundo é bacaninha desde o nascimento - lembrem de Rousseau, o "muso" dos revolucionários - porque o meio é que estraga as pessoas. Ora, se isso é verdade, vamos controlar esse meio o mais possível e a qualquer custo! Controle, controle, controle! Engenharia social! Engenharia humana! Fábrica de ORCS!
Controlando tudo com mão de ferro, incluindo os meios de produção, os meios midiáticos, os meios ambientais, os meios de vida, hábitos, preferências e modos de ser dos imbecilizados humanos, teremos a sociedade perfeita, o tal mundo melhor (Uma das sábias vovós da família dizia uma frase interessante: "o ótimo é inimigo do bom..."), onde, claro, as regras inventadas não valerão para o grupelho que as estatuiu. Eram os deuses socialistas?
As figuras arquetípicas do Onipotente e dos "rebelados - e "degradados"- filhos de Eva", puros arquétipos junguianos, estão aí, nas barbas de todos, a pleno vapor, causando os estragos bíblicos de sempre. Marta está ganhando a parada, por enquanto. Aguardemos os próximos capítulos da grande novela universal... É excitante!

Imagem: Marta e Maria, Giovanni da Milano - Firenze, Chiesa di Santa Croce

Marx, o Groucho

Tá tudo dominado !


Sala de aula em uma faculdade privada na zona sul do Rio. Rola um debate sobre qualquer coisa em voga. Lá vem clichê esquerdopata: "A pobreza é a causa da violência"! (palmas, urros delirantes) "O Estado tem de fazer ocupação social nas favelas" "Usar roupa de "griffe" provoca a violência dos que não têm acesso a elas." "Liberar as drogas seria ótimo porque sobraria verba para hospitais e educação." "O Estado controlaria o uso das drogas para impedir a disseminação de doenças." "Os laboratórios são culpados pela saúde precária da população porque só visam ao lucro" (mais urros).
O Estado pode isso, o Estado pode aquilo, o Estado é a solução.
Mais Estado, com mais poder, PLEASE!!! Imploramos de joelhos!

Que lástima, que ótimo trabalho fizeram as esquerdas nestepaiz... Isso não tem mais volta.
Como diz o Boris Casoy, usando o jargão dos marginais "da hora", tudo dominado!

Marx, o Groucho, precizando de Prozac.

O charuto no divã




Belas ilações sobre o Charuto da Anac, com a devida análise freudiana:

Charuto: metonímia óbvia da mulher que não quer sair de lá, peixinho do Zé Dirceu. Ela "degustava um cubano" (cuidado com outras interpretações!) enquanto as pessoas se descabelavam no caos dos aeroportos. Ora, o charuto é metonímia, também, do ditador do Caribe!
Anac: sigla onírica com evidentes implicações histérico-sádicas. As letras, no fundo no fundo subliminar, querem dizer: Avião Não Aterrissa Comigo!

And so, Freud explica: a diretora da Anac, ao fumar charuto, por ser peixinho de Dirceu, que é um cubanófilo fiel a Fidel (hirc...), denota seu desejo reprimido de ser cubana, com todas as regalias comunistas de lambuja, é claro. O charuto é o elo, a chave, a sinalização clara de que essa mulher é uma criatura de Sauron, uma orc! Quando ela diz que não renuncia ao cargo, ela está apenas imitando/parodiando/mimetizando seu mestre, que também não solta o osso desde que desceu da Sierra Maestra. Ninguém larga nada, ninguém abdica de nada, ninguém pode viver longe do poder. De lá para cá, Fidel se tornou o feliz possuidor de uma das maiores fortunas do planeta.

Imagem: Freud, charuto e a moçoila da Anac.

Marx, o Groucho

Monday, August 20, 2007

Mais interpretação de texto, com direito à cobra coral...


"O Brasil é um país de todos". Leitura correta: é um país de TODOS os petralhas. O slogan - por sinal, em termos visuais, primo-irmão do da Venezuela - é uma embromação a mais desses cretinos que assaltaram o poder, entre centenas de outras. Não, este NÃO é um país de todos porque está sob o controle de um grupo ideologicamente comprometido com o método "dividir para reinar", eficiente desde o Éden, uma das dicas clássicas de Gramsci com vistas à dominação política. Sob essa legenda, mostra-se a velha, batida, desbotada e burra luta de classes marxistóide.
Para qualquer lado que viremos, esbarramos com o discurso do nós contra eles ou vice-versa: os pobres contra a Zelite, a classe média contra os favorecidos pela bolsa-família, os ricos contra os pobres que querem chegar à universidade e assim por diante, com as mais dantescas variações. Tudo é grosseiro, bobo, fácil de apontar, denunciar, liquidar intelectualmente, mas QUEM faz isso em Banânia, QUEM se atrave a dar o nome aos bois, QUEM fala "na bucha", sem "papas na língua", sobre todas essas coisas - à exceção de meia dúzia de resistentes, que, sem dúvida, correm risco de vida -, QUEM ousa dizer na mídia e no espaço estudantil que o rei e seu séquito estão peladões? Peladões e mortos de medo de narizes de palhaço, o que é assunto para outra postagem...

Imagem: a serpente - uma cobra coral - , símbolo da divisão, do número dois, do diabólico, da sizígia...

Marx, o Groucho

Sunday, August 19, 2007

Mais bolsa

Gostei muito de uma observação do Gaspari hoje: Lula reclama das bolsas de doutorado para o exterior como se fosse um privilégio da Zelite. Só que existissem 1000 bolsistas cadastrados e todos precisam voltar para o país para reinvestir aqui. Esta bolsa é por tempo limitado e a quantidade de divisas que traz é inestimável. Enquanto isso Lula e mais 15 mil, isso mesmo, 15000 pessoas ganham a bolsa ditadura. Lula ganha, para não fazer nada U$ 2200 por mês.
Mas na hora de fazer discurso reclama dos pobres doutorandos, muitos realmente pobres, que se matam de estudar para fazer um país melhor. Antes eu desprezava o Lula. Agora, francamente, tenho nojo dele.
A inveja e o mal caratismo deste idiota me deprime...

Oriane

Saturday, August 18, 2007

À guerra, à guerra! Com os irmãos Marx!


Vejamos o fio da meada louca que hoje enrola Banânia:

Os cubanos não estavam "ilegais" no Brasil, mas foram deportados. Os cubanos foram abordados e drogados por gente esquisita que queria "aliciá-los". Os cubanos pediram asilo à Alemanha, mas juram de pé junto, segundo a imprensa de lá, que queriam voltar para casa porque têm família Ora, cubano fujão com família é cubano preso, porque rola chantagem, sempre: ou volta logo ou os parentes viram picadinho. Por isso o braço lulista de Fidel agiu a jato! Foi um ato de piedade, ENTENDEM?
Cubano procura ser um ótimo atleta porque essa condição pode ser propícia a fugas quando a delegação cubana sai para competir. Cubano repatriado é chamado de traidor porque quer usufruir da liberdade de ir e vir. Cubano não é dono de seu corpo, de seus talentos: eles pertencem ao Estado, que os explora conforme seus caprichos políticos.
Cubano não pode tomar "cuba libre" porque isso não existe.
Cubano não pode. Nada.

Brasileiro não pode vaiar presidente porque isso configura golpe. Brasileiro não pode viajar de avião porque o governo não deixa: os vôos são uma roleta-russa. Brasileiro não pode saber para onde vai o tutu que paga de impostos porque o destino do dinheiro é uma caixa preta.
Brasileiro não pode reclamar de nada porque não tem a quem reclamar: todas as "otoridades" do país são omissas, velhacas e incompetentes, não necessariamente nessa ordem. Brasileiro não pode usar tênis Prada porque vira inimigo público número um. Brasileiro tem de ser pobre pra ser mais brasileiro - rico, só do partido e seus afilhados. Brasileiro não pode falar português direito porque isso ofende o chefe do Executivo desta joça.
Brasileiro não pode. Nada.
Eu, hein!!! Vamos entrar em guerra! Já!

Imagem: cena de Duck Soup, filmão dos Irmãos Marx, no qual Freedonia entra em guerra com Sylvania!

Marx, o Groucho

A avó das AbFab visita o blog!


Para a turma das AbFab não pôr defeito nenhum!
Se a massa esmagadora da população é composta de analfabetos, no mínimo, funcionais; se esses analfabetos têm escassos meios de chegar à informação mais complexa e honesta; se a interpretação dos discursos do poder depende de sólido respaldo educacional; se esse pessoal, numericamente em vantagem, é fácil de engabelar via injeções de dinheiro público demagogicamente distribuído; se essa população em estado de hipnose é fundamental para a manutenção dos votos a favor... O que interessa aos detentores do poder? Manter todos nessa suprema, abissal e desesperadora alienação, ora!
Quais os espaços onde normalmente se travam essas batalhas? Educação e mídia, basicamente. O que os poderosos têm de aparelhar, então, para obter o supremo controle das mentes? A escola, a universidade e os meios de comunicação. Pronto, a receita de Gramsci foi cumprida à risca. É singela, autoexplicativa, mas muita gente com doutorado e o escambau não consegue fazer esse raciocínio linear. A seqüência lógica é boba demais, previsível demais. Essa gente parece se enquadrar em uma ótima piada de um episódio das tresloucadas AbFab, em que a avó toda-inglesa de Saffy, diante de um teste cultural em uma revista de passatempo, marca, convicta, a opção que põe Margareth Thatcher por 900 anos no poder. Seu raciocínio para chegar a tal conclusão é deslumbrante: a opção para marcar nove anos parece uma pegadinha para desviar a atenção das pessoas! Logo, a resposta correta deve ser, é claro, a aparentemente mais improvável! Afinal, diz a encantadora senhora, cheia de distraída malícia, ela parece ter ficado tanto tempo no cargo...
Pois é. Esquerdopata de carteirinha prefere se perder em hipóteses delirantes, teses disparatadas, informações truncadas e mentirosas, teorias da conspiração, conclusões paranóicas, todos os maléficos frutos da mais arraigada distorção paratáxica do que encarar a realidade pura e simples. Tudo que serve de obstrução à luz que insiste em brilhar na escuridão, para eles, é ponto pacífico. Padecem de veritasfobia, um misto de latim com grego, hehehe...

Imagem: a avó das AbFab, magnífica interpretação de June Whitfield.

Marx, o Groucho

Thursday, August 16, 2007

Lula - mais ressentimento...

Lula, mais uma vez, resolveu expressar seu imenso ressentimento contra aqueles que sabem mais que ele, ou contra aqueles que se mataram de estudar para conseguir uma bolsa. Lula odeia sua própria ignorância e resolve isso atacando o conhecimento alheio! Será que ele sabe o quanto é preciso ser bom para conseguir ir para o exterior? Ou que a maior parte dos estudantes está indo para a Alemanha, pois as bolsas no Brasil estão acabando e o governo alemão, DAAA, adora os pesquisadores brasileiros?

Vejam pérola:

- Tem gente que critica o Bolsa Família como um programa assistencialista, porque estamos dando o direito de os mais pobres comerem. Essas mesmas pessoas que criticam o Bolsa Família não criticam uma bolsa de U$ 2 mil para um doutor se formar no exterior, não é um contra-senso?

Pois é, molusco ressentido, acontece que o cara que faz o doutorado no exterior se matou de estudar para isso, e quando voltar vai agregar valor para o país, talvez movimentar a economia e, em certas áreas, criar divisas.
Esse cara é só ignorante ou é mal-intencionado?
Será que ele acha que podemos chegar a algum lugar sem doutores? Deve achar, afinal ele acha que ele é o ápice do cerumano e adora dizer que conseguiu isso sem ler um só livro.
Lula é incapaz de associar conhecimento à riqueza. Ele quer fazer do nosso país uma pátria de ignorantes, iletrados e pessoas que vivem de esmolas. Quer que todos sejam como ele, assim o ressentimento diminui...
Vá procurar um analista desgraçado!!!!

Já deu para ver para onde vamos, não deu?
Que tristeza...

Oriane

Wednesday, August 15, 2007

Um lampejo de Fernanda Montenegro


Olhem só que coisa interessante, que análise profética e sucinta: há alguns anos a atriz Fernanda Montenegro, convidada para ser ministra de não-sei-o-quê no governo de não-sei-quem, respondeu que não aceitaria o cargo porque o BRASIL É UM PAÍS CANSATIVO! À época, achamos a definição perfeita, embora a atriz não tenha dado os detalhes completos do contexto em que construiu a frase. O tempo passou, e a expressão virou slogan de passeata. Pelo estado do cansaço atual, o país "cansadinho" já deve estar na UTI...
Tudo como antes no quartel de Abrantes: o diagnóstico atual de Banânia é cada vez mais assustador, parece que o estado de letargia não tem mais volta. Macunaíma venceu.

Imagem: FM, cansada de estar cansada.

Marx, o Groucho, numa rede macunaímica comprada em "Ó linda cidade para..."

Friburgo - um ex-paraíso

Hoje li no jornal a notícia de mais um assalto em Friburgo. O jornal dá conta de que a cidade está ficando violenta.
Estive em Friburgo a trabalho ano passado. Fiquei horrorizada com a cidade. Na praça principal vários jovens com cara de traficante. Nas ruas carros esquisitos com neon, funk a todo volume e cordões de ouro e prata, daqueles de gangster no pescoço. Não um, nem dois, mas uma infestação de carros assim. Podíamos facilmente perceber a favelização da cidade. Lembro-me que foi aí que tomei a decisão de sair do Estado do Rio. Se antes havia a intenção de ir para Itaipava, agora nem isso. O Estado do Rio está tomado por favelas e marginais e uma série de administrações incompetentes acabou com o Estado. O que eu vi em Friburgo foi de arrepiar os cabelos. E só agora a polícia percebeu! Engraçado não?
Se alguém ainda acha que Friburgo é uma cidade calma cabe avisar: Friburgo tornou-se uma imensa favela cheia de funkeiros e marginais. E isso é uma tristeza...

Oriane

Monday, August 13, 2007

Nosso candidato para 2010 !


Este blog propõe um candidato para as eleições de 2010: o Barão de Munchausen!
Mentir por mentir, o cara tem muito mais charme, estilo, graça e inteligência. Pelo menos suas histórias são mais verossímeis do que as que andam contando no atual governo. A gente vai-se divertir à beça, na verdaderia - aí, sim! - cartilha "relaxa e goza". Se ele se recusar a ser candidato, temos um reserva: Peter Pan. Esse, lembrem-se, é muito experiente em Terra-do-Nunca dantes nestepaiz, um lugar onde ninguém quer crescer, o que nos soa bastante familiar, não é mesmo?
Aliás, a propósito da palavra "candidatura", ela se origina de "cândido", que quer dizer "puro", "inocente". Não é uma beleza de ironia? Os mistérios da origem das palavras nos reservam surpresas estapafúrdias como essas, em que a realidade trai, literalmente, as raízes verbais que a denotam. Um outro caso curioso: Lula é também molusco, certo? Moluscos são invertebrados. Já viram coincidência mais bonitinha? Como ele é sempre candidato à presidência, temos em cartaz no cine Banânia, permanentemente, essa soma esquisita de "ente invertebrado com pureza d'alma". Mais parece uma figura literária, uma metáfora intransponível... Ó Eça, socorrei-nos! És tu o escolhido dos deuses, em sessão espírita, para escrever a biografia do Keiser! Que caldo daria, Deus meu, que caldo!

Marx, o Groucho, atacado de literatice.

Blogagem coletiva: XÔ CPMF



O que dizer de mais um imposto? O que dizer da hipótese de que o governo poderia abrir mão da CPMF se fizesse um ajuste fiscal, coisa boba, só roubar um pouco menos? Não há muito mais o que dizer. Quantas vezes já não gritei contra os impostos? Pagar muito e só receber cinismo em troca? Não é só contra a CPMF que eu grito. Grito contra IPVA mais pedagio, grito contra o ICMS do Rio, contra o imposto de 70% sobre um rolo de papel higiênico.

E tudo isso para quê? Para nosso dinheiro parar na cueca de um idiota qualquer...

Odeio impostos, odeio o estado restringindo minha vida. Ainda mais um estado mastodôntico, ineficiente e roubado por um bando de incompetentes bons de marketing. Só há uma coisa que eu detesto tanto quanto os políticos: os marketeiros de campanha!!

Pagar tanto imposto a ponto de despedir pessoas, ver amigos desempregados porque os empresários precisam sustentar o estado, tudo isso para não ter saúde pública, educação para os filhos, segurança, bem estar....
Quem pode suportar isso sem gritar?

Petistas e não petistas, este é uma assunto para unir a todos. Do mais rico ao mendigo, todos pagam imposto. Embora o mendigo pague muito mais do que o rico. Não importa qual seja o governo, não podemos permitir tal coisa.

Pagar 40% de imposto para ter tão pouco em troca é aviltante!

Oriane

Saturday, August 11, 2007

Decifrando os mistérios de uma retórica ditatorial.


"Órgãos da imprensa local de países pobres e pessoas sãs interessadas no esporte começam a se perguntar por quê (sic) seus talentos desportivos lhes são roubados depois de tantos investimentos e sacrifícios para formá-los." - Diário Granma, órgão "oficial, único, sozinho e exclusivo", do governo cubano.

Ok! Mãos à obra! Vamos por partes, à Jack, o estripador - com crase mesmo:

1 - Pergunte-se: quais órgãos da imprensa, quais países "pobres"? Nomes! Nomes! Trata-se do uso de informação incompleta, "genérica", para impressionar o interlocutor. Esse recurso permite afirmações em cima do nada.

2 - Só se roubam pertences alheios, certo? O talento roubado é, afinal, de quem? Dos indivíduos ou do Estado? As pessoas "talentosas", nessas condições, não se pertencem?

3 - Os investimentos feitos "para formar" os talentos saíram de Marte ou de Vênus? O dinheiro empregado nesse projeto esportivo é de que origem? Não será do bolso dos próprios cidadãos candidatos a atletas "talentosos"?

4 - Os alegados "sacrifícios" são porque a abstração chamada "estado" malhou suou, nadou, correu e saltou enquanto os atletas, sentadinhos no banco, observavam o hercúleo esforço?

5- Pessoas "insanas" podem, sim, se interessar por esportes: todos os atletas cubanos que concordam em ser escravos de Fidel são um tanto insanos, e nem por isso deixam de ser eventualmente ótimos esportistas, ora! Ao mais, destacando-se nos esportes, eles têm uma porta aberta, sem tubarões à vista, para escapar da ilha, o que, convenhamos, é um ótimo incentivo para ganhar uma medalha de ouro!

Imagem: a famosa Escrava Isaura, na capa do livro de Bernardo Guimarães, esforçando-se para levar a medalha de ouro a seu dono, apesar do peso da corrente, hehehehe...
Este blog propõe a adoção da trilha sonora da novela sobre a escrava mais famosa do planeta como o novo hino de Cuba! Alguém nos arranja a melô em MP3?

Marx, o Groucho

Friday, August 10, 2007

A idiotia útil...


A expressão é antiga, mas ainda muito saudável: idiotia útil. Trata-se do outro nome de "massa de manobra", "populacho", "bucha de canhão", ou, mais recentemente neste blog, "orcs", em homenagem ao grande livro de Tolkien, exímio narrador da influência dos arquétipos nas escolhas humanas.
Por motivos bastante precisos e inevitáveis, toda sociedade mais complexa apresenta uma camada social menos favorecida, em maior ou menor escala, sem acesso às letras - olha a metonímia aí, gente! - necessárias à expansão do intelecto, que propicia o desenvolvimento de um pensamento crítico eficiente. Trocando em miúdos, esse segmento populacional segue mansamente os líderes de uma suposta "elite", os que tem a faca e o queijo na mão para conduzir ao inferno a "plebe ignara". Foi sempre assim, ao longo da história, com muito sangue no fim do corredor.
Quando essa "elite" é realmente elite, a possibilidade de ascensão social dessa gente é concreta, real. Pelo contrário, quando essa "elite" é apenas uma fachada hipócrita de um grupo que chegou ao poder, a tendência é manter na ignorância a turma desfavorecida, por motivos de ganância ou psicopatia.
Líderes velhacos ou psicóticos incentivam as massas a cultuá-los, fazendo-se valer, ainda que inconscientemente, do arquétipo do pai´- ou da divindade, em casos extremos -, sempre um poderoso catalisador das ações humanas. Lembremos, por exemplo, do paizinho Getúlio, do Grande Guia da China, Mao, do Comandante Fidel etc. Não importa o título em causa, - que pode variar segundo a formação cultural de cada povo: pai, mãe, irmão, guru, deus. -, o fato relevante é que esse mecanismo é tanto mais presente em situações em que a massa crítíca de ignorantes seja a mais densa possível. Esse é o caldo de cultura ideal para a implantação de um estado totalitário repleto de chupadores de idiotas úteis.
Em democracias legítimas, ninguém incentiva o culto à personalidade do mandatário supremo. Nem em monarquias democráticas existe esse fenômeno: jamais encontraremos ingleses chamando Beth II de a mãezinha, ou espanhóis clamando Juan Carlos de o paizão.
A democracia, sob o prisma de uma análise psicológica, é o regime que mais se aproxima de uma expressão coletiva de indivíduos que já tenham atingido um certo grau de autoconsciência, o que os mantém afastados de um comportamento infanto-debilóide. Com todos os defeitos que possa ter, ela ainda é um "breve" contra a tentação totalitária, em que vigora a abdicação do próprio "eu" em favor do "eu" alheio, uma escravidão involuntária.
O grau de objetividade das pessoas, e conseqüente independência, aumenta com o nível de educação honesta que elas conseguem obter na sociedade em que vivem. Se uma educação verdadeira, o processo que liberta, é substituída por uma doutrinação velhaca, o processo que aprisiona, o poder dos sanguessugas é mantido intacto. Eles sabem que o único meio eficaz de se eternizar às portas do erário é cultivar a imbecilidade do povo em proporções gigantescas. Olhem ao redor. Até o Keiser sabe disso e, a partir dessa percepção certeira, mantém o próprio discurso no mesmo nível da linguagem das pessoas que lhe dão a maioria dos votos nas urnas. Seu linguajar horrível é uma senha, uma escolha política, não um fato aleatório - a propósito disso, leiam aqui um ótimo texto de Percival Puggina.
A análise parece simples e é. No entanto, ela depende de algum estudo sobre Psicologia e, aí, caímos em um círculo vicioso: estudo, estudo, estudo, mas onde estudar se já estamos numa sociedade totalitária??? Pois é. Sniff... Buaaaá!!!

Imagem: orcs impedindo a saída de uma pessoa normal em Banânia. Em breve, no circuito...

Marx, o Groucho

Thursday, August 09, 2007

A Tarso Genro, o cínico.


Tarso Genro, aquele primor entre outros primores ministeriais, declarou que "os oposicionistas estavam querendo criar um fato político" em cima dos cubanos fujões. Ora, caro senhor, a fuga da delegação já não é suficientemente um baita fato político? É preciso, ainda, uma "ajudazinha" dessa pífia oposição que nos envergonha? Ninguém lhe perguntou por que nenhum atleta fugiu de qualquer outra delegação durante o Pan? Hondurenhos, guatemaltecos, peruanos, chilenos? Ninguém lhe disse que outros cubanos, mais afortunados, conseguiram se safar da KGB nacional e ficaram no país? Não lhe parece estranho o fato de que eles foram "dopados e aliciados"(???) - ou seja, foram enganados por "gente má", tadinhos! -, e, por isso mesmo, como prêmio POR TEREM SIDO "VÍTIMAS", recebem uns cascudos do tirano do Caribe, que os xingou de "traidores"???
Então, sinistro Genro, deve-se punir gente inocente, "enganada, aliciada e dopada", repetimos, como se tivessem cometido um crime de lesa-pãtria? Sabemos que você não é um ignorante, pelo contrário! Só lhe resta a mais despudorada, cínica e asquerosa má fé!
E ninguém diz nada? Ninguém argumenta com esses caras? Ninguém está vendo que esta mídia vendida só levanta a bola para os governistas cortarem? Ninguém fica indignado porque o PT continua fazendo pressão em todas as pessoas que eles "acham" - até paranoicamente, não fossem os psicopatas que são - que funcionam como formadores de opinião, como o Jô Soares (uma ambigüidade ambulante, mais pra lá do que pra cá), para amordaçá-los, castrá-los, controlá-los??? Afinal, existe homem com "H" maiúsculo nesta terra de poltrões? É isso que CANSA, seus ordinários, essa falta de caráter completa! Se não querem ser justamente xingados, sumam do mapa, vão fazer de bordel outro país!

Imagem: Ney Matogrosso, homem com "H" e excelente cantor...

Marx, o Groucho, fazendo as malas.

Postagem poética

O velho Orwell tinha razão!
Na ditadura dos bichos,

Alguns são mais iguais do que os outros:
Bicho-lula viaja com todos os reversos,
Os outros, não!

Imagem: uma ilustração de Animal Farm, de Orwell. Qualquer semelhança não é mera coincidência.

Marx, o Groucho, com espírito-de-porco...

Recado geral


Reitero que, para bom entendedor, pingo é letra. Por quê? Porque alguns comentaristas deste blog não entendem o que lêem, o que não é nenhuma novidade em Banânia, onde grassa o bloqueio neuronal. O principal sintoma desse tipo de fenômeno é a mais completa falta de bom humor. Por isso, não entram aqui. Contrapontos lógicos e educados serão sempre bem-vindos. Não perderemos tempo com discursos patológicos e agressões de energúmenos. Vão procurar sua turma...

Imagem: o alfabeto, para iniciantes, com todas as letras que já deram no pé...
Marx, o Groucho

Wednesday, August 08, 2007

Esquerda, direita e fagocitose: relações semânticas...


Os meus célebres bois continuam clamando por nomes senão vejamos: que diabos, afinal, significam as expressões esquerda e direita, que tanto ouriçam as pessoas nestes tempos de mau agouro? Pesquisem a sério e encontrarão coisa boa por aí, na internet e nas bibliotecas decentes, as poucas que restam.
De modo geral, como curiosidade histórica, as pessoas têm a vaga idéia de que essa cansativa dicotomia parece ter nascido pós-revolução francesa, por conta da alocação de algumas pessoas no espaço físico da Assembléia de Asterix e Obelix, que se reunia, quase aos bofetões, para discutir o caos instalado após aquela linda carnificina que serve, ainda, de meritório exemplo a alguns desvairados que suspiram por Rousseau, um dos padrinhos daquela historinha de igualdade, fraternidade e liberdade, um grito primal que se estatelou na práxis sangrenta da massa ignara, sempre cheia de boas intenções sociais e sadismo incubado. Os girondinos de cuca mole ficavam à esquerda, os outros, que queriam esganá-los, à direita. Pronto, começou o drama...
Pois bem, depois desse início de vida lingüística banal, as expressões esquerda e direita tomaram rumos tão heterodoxos, quiçá pitorescos, que é quase impossível discursar com clareza sobre suas diferenças essenciais, tal a quantidade de sentidos que se forjaram a seu redor, escorregadios como paus de sebo, o que se deve exclusivamente à natureza camaleônica do próprio discurso esquerdista, sempre fugindo da realidade que o contradiz.
O que nos resta dessa festa é um ar de "conservadorismo" na direita e de "progressismo" na esquerda, o que não diz absolutamente nada que preste. Há coisas que precisam, sim, ser renovadas, refrescadas, mudadas, e outras, não. Há valores absolutos a preservar e outros, produtos de contingências passageiras, que devem ser revistos.
Enfim, é uma tremenda baboseira esse embate de rótulos que desaguam num beco sem saída. O correto seria, para sermos essenciais e não histéricos, uma divisão, velhíssima e claríssima, entre honestidade e sacanagem, normalidade e psicopatia, objetividade e solepcismo crônico. É fácil perceber que as diferenças passam muito mais por parâmetros filosóficos - o que é o "bem e o mal", por exemplo? - e psicológicos - o que é "normal" e "anormal"? - do que por falácias vagabundas provenientes dos vômitos da História, Sociologia e Economia, campos estreitos do conhecimento - não por acaso queridinhos da... esquerda! - que foram elevados à cretina categoria de "ciências", no âmbito do mais cínico jogo político.
Se examinarmos todos os teóricos ou, pelo menos, os mais relevantes inspiradores dos ditos movimentos esquerdistas, poderemos detectar alguns traços semânticos, comuns entre eles, que denotam um sólido quadro de significações, um recorte estável do que seria, efetivamente, um "pensamento revolucionário", o sentido final da expressão ser de esquerda.
Por que começar e terminar por aí? Simples: a direita foi inventada pela esquerda, é seu bode expiatório, seu saco de pancadas, seu inimigo figadal, seu alvo preferencial, para o qual são maliciosamente canalizados todos os rancores, inhacas, mágoas e frustrações do que eles chamam de "povo", a massa de manobra de que precisam desesperadamente para florescer, pois sem ela não podem erigir seu álibi revolucionário: revolução a favor de quem, ó pá? Cadê a fachada que encobre o meu pirão?...
Em suma, tudo que contraria o escopo ideológico da esquerda é automaticamente taxado de direita, porque há uma luta no ar, um confronto acirrado, que tem de ser nutrido, cotidianamente, para que a "revolução" faça sentido, cresça e apareça, pois dialeticamente é impossível se imaginar uma "revolução" sem antagonistas, perversos inimigos, não é mesmo? Pois bem, todos os antagonistas que "atrapalham" a chegada da esquerda ao erário - pois o fundo da questão é exatamente esta, mão no tutu ou delírio psicótico, instâncias perfeitamente humanas, gente! - têm de parecer de direita, sempre. É por esse viés que a turma esquerdopata aproveita tudo o que eles mesmos, em qualquer passado recente, crucificaram como sendo de direita, tão logo isso serva a suas ambições. Lembrem-se das alianças feitas pelo governo petralha, que tanto escandalizam as alas "radicais, puristas e fundamentalistas", do tipo Heloísa Helena.
No saco semântico da direita cabem, assim, todos os desafetos, obstáculos e pentelhos de múmia que atrapalham a ascensão do politburo. O que se deduz daí é fácil: não há uma "direita em si", exceto quando algo ou alguém resolve descer o sarrafo no "método" revolucionário de chegar ao poder, condenando um esquema de ações que passam inevitavelmente pela supressão da liberdade individual, pelo gigantismo estatal - sustentado por uma burocracia kafkaniana -, pelo engessamento da economia, pelo desrespeito à propriedade privada, pela implantação de
um estado policial eficientíssimo no controle da informação circulante, pela eleição dos fins como justificativa dos meios, pelo relativismo moral como norma partidária (o que eleva a mentira à categoria de regra de ouro), pela supressão das religiões autênticas - as puramente animistas podem favorecer, eventualmente, às manipulações popularescas do partido único - e por aí afora. Ah, tudo isso por um mundo melhor, é claro.
Se você é contra essa plataforma ideológica, você é de direita, justo porque ser de esquerda vincula-se a uma ação, enquanto ser de direita vincula-se, claramente, a uma reação, o que justificaria, vejam que engraçadinho!, a pecha de reacionário aos que não concordam com essa "pato-ideologia", responsável, direta e indiretamente, pela maior matança da História.
Quando um corpo saudável é invadido por bactérias, o organismo entra em estado de prontidão e reage contra as intrusas, mobilizando todas as suas defesas. Um hemograma mostra claramente esse reacionarismo: todos os fagócitos são de "direita", tadinhos - essa metáfora não tem o aval do Keiser Lula, por favor! Para bom entendedor, pingo é letra.

Imagem: fagocitose de uma ameba, uma prática nitidamente de direita.

Marx, o Groucho, cheio de paciência.

Tuesday, August 07, 2007

Paranóia por paranóia, vamos ao troco!


Recapitulando:

1 Lula se assustou com a vaia no Maracanã. Resolveu não se arriscar e ignorou a cerimônia de encerramento - vai que a nova vaia viesse com ovos e tomates?
2 Lula ramanejou sua agenda para não ser vaiado depois do desastre da TAM. Fugiu principalmente do Sul.
3 Lula soltou farpinhas, em represália, ameaçando pôr "gente nas ruas', numa espécie de ensaio de tomada do poder na marra, pelos braços do "povo". O dele, é claro.
4 As passeatas do CANSEI mobilizaram a PF em todas as capitais onde elas ocorreram. Serviço bem feito, fácil de se comprovasr: todo mundo foi filmado e fotografado. Aguardem os grampos telefônicos e as perseguições aos identificados. PARANÓIA? Aguardem o andar da carruagem.
5 Os cubanos fujões foram devolvidos, a toque de caixa, para a amada terrinha fidelista. Nenhum deles foi ouvido.
6 O programa Roda Viva (???), repleto de cadávares ambulantes, entrevistou um zumbi do bando de Sauron. Não houve nenhuma argumentação honesta sobre o episódio dos atletas do Caribe. Patético, indecente.
7 A mídia vermelhinha peneirou os fatos como que bem entendeu, e tudo saiu devidamente distorcido: a vaia "encomendada" do Maraca, as "assustadoras" passeatas direitistas e a "justa" expulsão dos cubanos.

Beleza pura! Quem ainda OUSA acreditar nesta joça de país? E não esqueçam: a saída pelo ar está impraticável, e seus passaportes correm o risco de ser embarreirados pela PF se vocês forem identificados como ... dissidentes brasileiros!
Te cuida, turma dos hobbits! Chamem Gandalf!

Imagem: só Gandalf salva!

Marx, o Groucho, disfarçado de Orc.

Jogar pesado é preciso!


Que fique claro o sentido de "pesado", numa terra em que "dar nome aos bois" não é exatamente o grande esporte nacional: a esquerdopatia tem método, obstinação própria dos psicóticos, maneirismos políticos de curral bolchevique - pra lá de malhados! -, estratégias mis, ensaiadas e levadas a cabo em diversos pontos do planeta, com as devidas reavaliações, consertos e "melhorias". É uma máquina, sinistra e bem azeitada, de desinformação sistemática, lavagem cerebral e táticas de divisão. Como combater isso? Jogando pesado, ou seja, não dando trégua à abdução, falando o que for preciso falar SEM meias palavras - o nome do boi tem de sair inteiro! -, esclarecendo os que ainda têm interesse sincero no assunto, informando os fatos relavantes, de maneira indubitável, aos que estão perdidos no emaranhado midiático. É árido, mas é o preço da liberdade. No fundo no fundo, é puro magistério o tempo todo: ensinar, explicar, esclarecer, corrigir... Esse é o significado de jogar "pesado". O sentido deles é "outro": mentir mais, confundir mais, caluniar mais, sofismar mais, roubar mais, agredir mais, todo e qualquer meio para se chegar ao fim desejado. Disgusting boys!

Imagem: a rua Direita, em Tiradentes, por onde esquerdopatas não andam!

Marx, o Groucho

Jornal da Tv como deve ser: farsesco...


Jornal do SBT, noite de segunda-feira, dia 6 de agosto. No ar, uma enquete sobre o governo Lula, com palpites dos telespectadores entrando no ar, de vez em vez, com comentários de Carlos Nascimento, pilotando o programa com uma colega. Lá pelas tantas, ouve-se a seguinte opinião , já traduzida para o português formal: ... o governo Lula tem de ser criticado sim, porque ele põe gente incompetente em cargos que pedem maior preparo, como foi o caso de uma jornalista na Infraero, uma pessoa que nada tem a ver com isso, o que é errado. Essas coisas acabam dando em tragédia etc e tal... Observem a intervenção brusca de Nascimento, cortando o fio do texto alheio: Que jornalista é esta? Então é ela que é a culpada??? O pobre antilula tentou explicar melhor sua já cristalina opinião, mas não teve tempo e ficou por isso mesmo. Êita jornalismo bacana! Quanta inteligência, quanta consideração pelo telespectador - um otário que pensa que está sendo levado a sério -, quanto charme informativo, dinâmico e interativo, quanta modernidade e retidão! QUANTA FARSA! Alguém duvida que a irritação do jornalista é de fundo ligeiramente "partidário"? Alguém duvida que ele não entendeu o que ouviu? Alguém duvida que sua réplica foi um primor de falácia? Alguém duvida que ele mereceria levar um processo pelas fuças por ter distorcido completamente as palavras do telespectador, que ousou dizer o óbvio: os petralhas aparelham tudo, pondo todos seus apaniguados onde lhes aponta a conveniência?
Para os desavisados, a tal jornalista é um peixinho do Zé Dirceu na Infraero. Foi aquela polida e amável criatura que disse, entre outras cretinices, que ninguém poderia querer "corpos inteiros" depois que o avião da Gol explodiu no ar... E Nascimento correu em sua defesa, claro, por espírito de corpo, ou espírito de porco, sabemos lá... Primorosos, ambos. Que o demo os carregue, inteiros.

Imagem: Gravura para o Inferno de Dante, de Brunelleschi.

Marx, o Groucho, fora de controle.

Lula e cubanos X Getúlio e Olga: uma equação rodrigueana...


Deu a "pule de dez": Lula entregou os dissidentes, de bandeja, para o irmão Fidel. Nenhuma novidade até aí, era mais que previsível. O espantoso foi a velocidade com que a coisa foi feita, a incrível eficiência da PF etc. Vivemos em um regime bolchevique, com todas a s letras e ações e ponto final. Depois o Olavo de Carvalho é que é louco, paranóico, gagá. Taí! A velocidade da apreensão e devolução dos infelizes cubanos se deveu a um único fato, um óbvio ululante rodrigueano: vai que alguém da imprensa "normal" consegue chegar nos sujeitos e arranja uma entrevista-bomba, com algumas perguntinhas básicas, em termos de um jornalismo decente, tais como "Por que vocês largaram a delegação?, Por que não querem voltar para o seu país?" Imaginem o perigo disso, hein? Imaginem se sai na VEJA! Continuem imaginando que vocês chegam lá.
No frigir dos ovos, mais uma vergonha contabilizada em Banânia, a crédito dessa figura ímpar, o Pilatos de Garanhuns, o símio que nada vê, nada ouve e não diz coisa com coisa. O mais nojento nisso tudo, entretanto, foi o que falou um cara do PCdoB, o responsável pela área esportiva "destepaiz", tão jurássico quanto anormal, no RODA "MORTA" de ontem, dizendo que os cubanos fujões "devem ter percebido que é ótimo morar num país que lhe dá educação e saúde" etc e tal, toda aquela baboseira cubanófila de sempre. Como ninguém teve acesso aos dois, a imprensa petralha pode dizer o que bem entende sobre o episódio. Mais stalinista, impossível. Depois ainda vem beleleca petralha reclamando que "Getúlio, um ditador "de direita", entregou Olga aos nazistas". Ninguém vai reclamar de Lula, um ditador de esquerda, que entregou os dissidentes a Fidel? Será que os neurônios desses retardados não vêem a analogia política?

Imagem: a mão sujinha de Gegê, com cinco dedos.

Marx, o Groucho, que não pôde ir à passeata porque a geladeira, claramente petista, desabou na cozinha na manhã de sábado, causando um estrago monumental. A nova é de outra marca, de direita!

Ação política e a ditadura no Roda "Morta"...


As pessoas que estão saindo das tocas, ainda verdes e ingênuas, para combater a ditadura que está aí, precisam saber de uma coisa fundamental, se querem lograr algum êxito nessa luta longa e dificílima: toda ação é POLÍTICA, embora não necessariamente partidária, o que é outra conversa. Há um escopo básico de idéias e atitudes que tem de ser claramente compreendido, se tivermos em vista neutralizar a reação dos petralahs, que estão claramente incomodados, assustados até, com qualquer reaçãozinha à sua onipotência infantil.É ato politico, SIM, reclamar energicamente contra o governo petralha e todos os trágicos - vide caos aéreo - efeitos que ele tem causado. Esse é um ato de afirmação ideológica, sobretudo cultural, cujos fundamentos encontram solo firme em premissas filosófico-religiosas que, desde sempre, constituem a base do texto civilizatório que permeia a alma de indivíduos ainda mentalmente saudáveis.
Em suma, trata-se do embate da boa e velha LEI NATURAL versus os sinistros desvios de suas normas. Está-se combatendo uma psicopatia grave, travestida de ideologia humanitária, um parasita mortal que invade corpos e mentes deformando todas as formas de existência livre e consciente dos seres que ousam levantar o nariz acima do esterco.
O momento é grave e nada melhor para exemplificá-lo do que o programa RODA "VIVA" de ontem: foi uma imoralidade, um surto coletivo, uma demonstração de covardia e ignorância INENARRÁVEIS, diante de um débil mental (ora, ora, "afrodescendente", vejam só alibi do cara!) alçado à administração bolchevique por seus pares de esgoto. A inação, a falta de energia, a falta de raciocínios lógicos, o nível ridículo dos discursos jornalísticos presentes, a falta, enfim, do contraponto honesto indispensável em uma entrevista desse tipo, tudo foi um exemplo vivíssimo, emblemático, da farsa que se construiu em Banânia para que isso aqui pareça uma democracia. Não é. Sugerimos uma entrevista coletiva com os cubanos, em Cuba, é claro...


Imagem: Paulo Markun, o mediador do Roda "Morta".

Marx, o Groucho

Sunday, August 05, 2007

Onde está Wally?

Peguei esta foto no Nemerson Lavoura. No Blog dele dá para ver bem melhor. Eu apareço na foto, mas não no primeiro plano...
Advinham?

Oriane

Nós devemos ser muito perigosos...


Passeata





















































Aquela petralhada que confunde maioria com verdade deve estar feliz. Ou seja, aquele pessoal que acha que se a maioria escolheu Lula é porque ele é o melhor. Ontem foi o dia da nossa caminhada. O que dizer? Parecia mais um aglomerado do que uma passeata. Mas também não tivemos nenhum apoio da imprensa, aquela que os petralhas chamam de reacionária e burguesa.
Apesar de tudo, sinto uma mudança de ares, como se as pessoas estivessem acordando para o que está acontecendo. A petralhada ficou enchendo o saco, falam que nós não somos democráticos uma vez que o molusco foi eleito pela maioria. Ora, FHC também foi eleito pela maioria e a petralhada fazia passeata "fora FHC" dia sim e dia também. Democrático, para eles, só quem baba pelo PT...o resto eles chamam de burgueses-reacionários-di-direita".

Uma coisa me intrigou: nunca vi tanto carro de polícia. Vários carros da polícia federal, força nacional etc. As polícias ligadas ao governo federal marcaram presença. Pena que só é assim em dia de passeata da oposição.

Suspiro...

Oriane

Saturday, August 04, 2007

Madame "Chuí", o charreteiro e Hércules...


Esta criatura nos tira do sério: Madame do Oiapoque ao Chuí! Nós a encontramos aos borbotões nas bibliografias e nas bocas vadias do meio acadêmico, sempre numa aura de incenso insensato, de enjoar o inventor do Engov. Já nos disseram até que ela é ótima avó. Que legal!

Seus livros - pastiches embolorados -, repletos de citações que dão no beco sem saída da enrolação semântica, são divulgados como bíblias do melhor pensamento filosófico, sem contestação nenhuma, é claro, por parte de milhões de abduzidos mentais, desprovidos de quaisquer meios de defesa contra a virulenta mistura de desinformação e ignorância que lhes é impingida goela abaixo. Quem perceberia, por exemplo, que a criatura faz a luz "dar voltas" quando descreve o "mito da caverna", pinçado de um texto platônico? A Física que se cuide porque na cabeça de maluco patralha até a luz se recusa a andar em linha reta!

A ditadura de psicopatas que foi implantada em Banânia é ancorada por dúzias de ícones midiáticos, antigurus que são acionados toda vez que alguma luz tenta brilhar na escuridão. Esses arautos da esquerdopatia aparecem como necessário contraponto quando ocorre algum desequilíbrio na estrutura imbecilizante que nos oprime, situações em que podem ocorrer brechas nos diques que impedem a limpeza da craca esquerdopata, sob a força da água benta do Logos.

Estivemos numa cidade histórica em Minas, por uma semana, batendo papo até com os passarinhos, como de hábito, para saber o alcance da PESTE que nos corrói. Pois bem, ouvimos o seguinte comentário de um humilde e desdentado condutor de charrete: "... no Brasil está tudo vendido "aos americano"!"(sic) O monótono clichê foi a propósito de uma pergunta que fizemos sobre o estapafúrdio modo como o turismo é gerido numa das nossas mais belas cidades históricas, Tiradentes, cujo acesso está completamente congestionado por uma obra que se arrasta há meses, sob as barbas de uma plaquinha que explicitamente "agradece ao presidente Lula" tamanha bondade estatal. (Para não falar de outras esquisitices, como um tresloucado serviço de ônibus, feito por uma única empresa, que muda os horários e os pontos de parada sem aviso prévio. Sabem por quê? Porque, segundo um taxista local, esse serviço é clandestino!)
Taí, é preciso dizer mais alguma coisa? Chauí faria do ingênuo charreteiro um ladino e oportunista presidente da república, com as bênçãos do Alferes.
O discurso de Madame é só a cereja do bolo, o arremate verbal que deleita, de tempos em tempos, a indigência intelectual do grupelho que assaltou o poder neste solo de descerebrados. O estrume que está por baixo disso tudo, nem Hércules, que limpou as cavalariças do rei Augias, conseguiria encarar. Chamem a fúria de Zeus!

Imagem: o bravo Hércules, na dúvida se encara a sujeira em Banânia, seu décimo-terceiro trabalho...

Marx, o Groucho, comendo pão de queijo, uai!

Heitor de Paola, para meditar.


Para pensar a respeito, do ótimo Heitor de Paola, valendo como um texto contraditório em tempos de passeata:

O silêncio dos inocentes

"Tenho recebido insistentes chamados para comparecer a uma manifestação, Cansei!, cuja meta seria “retomar o Brasil apossado por uma quadrilha que o está levando ao caos”.
O que pretendem os tais cansados?
Vejamos. A iniciativa dos atos Cansei! em todo o Brasil foi da OAB-SP, uma entidade que prima pelo corporativismo, pelo apoio a todas as ações esquerdistas pelo país afora, pela defesa dos “direitos humanos” - dos bandidos, bem entendido, pois eles são os “excluídos” e as vítimas são burgueses que merecem ser roubados sem chiar (com exceção de seus familiares, of course) - pela intromissão em todas as áreas da República, enfim, parte importante da “sociedade civil organizada” de que o PT, o PSDB e todos os partidos de esquerda dependem. Só por aí já ponho minhas barbas de molho.
O presidente da dita OAB em entrevista à CBN, na noite do último dia 31, simultaneamente com o Presidente da CUT, disse que a sociedade não deveria se preocupar, pois era “um movimento apolítico, sem qualquer pretensão política, sem cobrar nada de ninguém”, apenas para que todos possam juntos, naquele minuto de silêncio, se concentrar nessa confusão toda e pedir por um país melhor. Ora, é o que o PT promete: um mundo melhor é possível! O Presidente da ONG Farol da Democracia Representativa, Jorge Roberto Pereira, pergunta: “Pedir para quem? Já que não tem qualquer pretensão, para que fazer?”.
Noutra entrevista dia 2, no programa de Boris Casoy, o mesmo senhor da OAB disse que o movimento não é contra o governo, e reiterou que se trata de um movimento apolítico, deve ser proativo, com sugestões ao governo. E atenção, o melhor está por vir: declarou que está em contato permanente com o Ministro da justiça Tarso Genro e com o Presidente Lula.
Bolas, que raio de oposição é esta que realiza atos públicos em íntimo contato com o Ministro da Justiça e o Presidente da República? Está certíssimo Jorge Roberto, pois como “retomar o Brasil apossado por uma quadrilha que o está levando ao caos” de forma apolítica e em contato estreito com os chefes do que eles chamam de quadrilha? Ora, o governo é política pura e nada mais, e o é por dever de ofício. Lá se encontram políticos eleitos pela sociedade e não pessoas “cívicas”. Como, então, se pode ser contra o governo sem ser politicamente? Não dá para entender! São amadores que pretendem tomar as ruas? O protesto silencioso, comenta outro correspondente, “... de tão ingênuo, chega às raias da tolice. Ou seja, qualquer ex-militante comunista conhecedor das mínimas técnicas de agitação e propaganda sabe que fazer silêncio em manifestações é não manifestar coisa alguma. Carreata, passeata, buzinaço, apitaço, panelaço, carro de som, etc., são as técnicas mais eficientes de se chamar a atenção para uma causa; qualquer que seja ela”.
E os profissionais das ruas, a CUT, já programou a sua manifestação, o “Cansamos”, para ocorrer na mesma ocasião. Diz na mesma entrevista (a primeira citada), o Presidente desta entidade, que “já estava na agenda dos trabalhadores, há muito tempo, e vai apresentar os pontos que provocam esse cansaço em toda a classe: o excesso de horas de trabalho, o excesso de dias trabalhados por semana, taxas de juros altas, etc. A coincidência de datas foi somente um acidente, não é um contraponto”.
Mais uma vez está com razão Jorge Roberto ao dizer que “o Presidente da CUT está certo. Não se trata de contraponto nenhum. É intimidação mesmo, demonstração de força e de capacidade de mobilização e de militância. Melhor demonstrada ainda se resolverem fazer um ‘panelaço’, ao invés de ‘um minuto de silêncio’”, e eu acrescento: no exato minuto do silêncio dos inocentes! Que de silêncio se tornaria em algazarra, ridicularizando completamente o movimento dos amadores cansados. Hannibal, the Canibal, deve estar vibrando em sua cela: Jodie Foster caiu na esparrela!
Mais profissional ainda, “Nosso Guia” afirmou em Cuiabá que as vaias não o intimidam, e não vão afastá-lo das ruas e trancá-lo em seu gabinete no Palácio do Planalto. Ele chamou para o desafio os brasileiros que o têm vaiado. “Se quiserem brincar com a democracia, ninguém sabe nesse País colocar mais gente na rua do que eu”! E continuou dando seu recado: “Os que estão vaiando são os que mais deveriam estar aplaudindo. Foram os que ganharam muito dinheiro nesse País no meu governo. É só ver quanto ganharam os banqueiros os empresários”. E completou em outra entrevista: “Gente que ficou contente com os 23 anos (foram 21, Excelência) de regime militar e está incomodada com a democracia, porque a democracia pressupõe o pobre ter direitos” (...) “querem reviver 64, com as 'Marchas da Família com Deus pela Liberdade', são saudosos da ditadura, mas que não brinquem com a democracia porque o vem depois é muito pior”.
É claro que Lula exagerou na dose; a maioria sequer sabe realmente o que foram os anos de regime militar a não ser o que ele e seus companheiros permitem que se saiba: sua própria “história oficial” dos “anos de chumbo” que há alguns anos ele confidenciava que foram anos de pleno emprego e que Médici seria eleito se houvesse eleições. Mas, certamente são pessoas que adoram uma universidade estatal para seus filhos - para sobrar dinheiro para viajar à Europa, que ninguém é de ferro - apóiam a Petrossauro, Furnas e demais estatais (visando empregos milionários).
Aposto que se alguém pegasse um microfone defendendo o liberalismo, a desestatização total da economia, o fim da universidade gratuita e das mamatas, seria mais vaiado ainda do que o Lula. Mas esta observação do Presidente não foi ao acaso. É mais uma intimidação: cuidado, eu não sou o Jango, eu tenho apoio popular, as Forças Armadas estão neutralizadas e quem leva esta parada sou eu e o PT. E leva mesmo. Ele sabe muito bem, que as marchas de 64 tinham conteúdo político e mais: ideológico! Havia no mínimo quatro Governadores de estados importantes na oposição de verdade - Lacerda, na Guanabara; Adhemar de Barros em São Paulo; Magalhães Pinto, em Minas; Meneghetti, nos Pampas. As Forças Armadas estavam articuladas e eram ideologicamente preparadas para enfrentar a guerra revolucionária, assim como a Igreja Católica. E foi então que as esquerdas aprenderam a ler Gramsci: primeiro a hegemonia, a tomada do aparelho do Estado e a modificação do senso comum, só depois a tomada do poder. E aprenderam tão bem que todos os “intelectuais” e a maioria do povo hoje só sabe raciocinar - se é que isto é raciocínio - dentro do lixo marxista-leninista que nos impingiram durante 40 anos.
O que temos hoje? Oposição no Brasil? Faz-me rir! Esses movimentos, sem organização e coragem de desmascarar com todas as palavras o processo inteiro, com conteúdo político e ideológico, com todos os nomes e definições, não vão levar a nada. Pior, corre o risco de servir de pretexto para que dêem o golpe alegando “ameaça de golpe” e acabem com os últimos resquícios de liberdade no país. E, realmente, o que pretendem com isso? Na hipótese remota de que consigam derrubar o Lula, quem entra no lugar dele? O aparelho do Estado está tomado e ainda que isso acontecesse os remanescentes dentro da máquina ainda teriam condições de fazer o que bem entendessem. Outro correspondente lembra que em Cuba, desde a tomada do poder por Fidel, estão proscritos todos os movimentos políticos, mas manifestações “cívicas” e “apolíticas” como esta - certamente em contato diário dos organizadores com Fidel - são permitidas e até encorajadas para mostrar ao mundo como lá existe liberdade.
Com esta oposição inconseqüente e sentimentalóide estamos fritos e mal pagos e o MAG ainda vai fazer aquele gesto gentil mais vezes: a ingenuidade deste povo é tudo o que eles queriam."

Marx, o Groucho

Friday, August 03, 2007

Passeata amanhã!


Amanhã estarei 14:00 em frente ao forte do Leme para vaiar o Lula. Adoro aborrecer pessoas que têm um ego grande demais. Sei que vai parecer passeata dos ricos da zona sul. Não me importa, é um direito que nos assiste vaiar.
Quanto mais esses Stalinistas malucos tentam me obrigar a pensar como eles, quanto mais eles demonizam aqueles que não pensam como eles, mais e mais tenho vontade de vaiá-los, gritar aos quatro ventos: não sou burra, estou vendo este discurso falso de vocês. Estou vendo a patrulha ideológica, a distorção dos fatos, os apaniguados no lugar dos sábios, a meritocracia sendo substituída pela mesquinharia.
Mas o que mais me aborrece é a presunção de que eles são os certos e que não cabe discussão, ver desqualificada qualquer opinião contrária e ver uma quadrilha de despreparados destruindo meu país.
Por isso irei vaiar amnhã!

Oriane

Retardados!

Fiquei horrorizada com este vídeo sobre umas pessoas que acham uma enorme graça em atirar ovos nas cabeças dos outros. Trata-se da fina flor ( não tão fina assim, estão mais para a fina flor dos nouveau riches) do Rio de janeiro comportando-se como lixo. Um horror. Se fossem adolescentes, até dava para entender, mas não é bem assim. Vários são adultos. Os jovens que aparecem no início estão na faixa dos 21-22 anos. Completamente acéfalos!
Não sei se vocês vão conseguir ver, pois na mesma medida em que eles surgem eles vão sendo retirados. Misterioso, não?
De qualquer forma o jornal Extra disponibilizou aqui.



Triste, não?

Oriane

"V" de vingança: a retomada


Hora de desbaratar discursos pífios e desculpas porcas. Hora de dizer que o rei está pelado e que seus assessores/asseclas são a ralé da raça humana: ordinários, hipócritas, cínicos, nojentos. Hora de dizer FORA LULA e sua corja!, com o mesmo ímpeto com que os aliados diziam FORA, Hitler! e os russos diziam FORA, Stalin! - embora, esses últimos, com um cano de pistola enfiado na boca, coitados...
Hora de fazer valer a democracia que ainda resta neste solo banhado de daninhas bactérias vermelhas. Hora de dizer CANSEI e QUERO MEU PAÍS DE VOLTA, um brado de retomada do que ainda resta de normal em Banânia, expressão usada, há anos, em uma entrevista, pelo poeta Bruno Tolentino, morto recentemente e lúcido para sempre.
É hora do "V" de vaiar cretino, do "V" de vingança, legítima, urgente, contra tudo que conspira para apodrecer o que resta da alma brasileira.
pra casa, Lula! Volte a pé porque de avião você não chega lá e, de carro, os buracos na estrada vão engoli-lo! coçar pachorrentamente o umbigo, que é a única coisa que você faz com alguma competência... Ah, não esqueça de levar seus milhares de apaniguados familiares, cupinchas de sindicato, puxa-sacos da mídia, vendidos de ocasião. Não deixe rastro, ok?

Marx, o Groucho

Thursday, August 02, 2007

Assistam! É emblemático!

Peguei este vídeo no Angelo da Cia, que sugere que o espalhemos. Como ele mesmo disse: sem comentários!




Oriane

Blogagem coletiva - acidente

Foi difícil escolher a imagem que mais me marcou em toda esta tragédia. A mãe chorando no aeroporto, o fogo, o desespero, o top top top do "intelequitual" do pt, todas as imagens foram impactantes. Mas haja vista que o que mais me horrorizou foi a reação indiferente e egoísta de todo o governo, então esta acaba por ser a imagem emblema de toda esta estória. Os funcionários da Infraero rindo diante do fogo, retirada de corpos e escombros. Isso, para mim, resume toda a ação desta porcaria de governo durante o acidente.
Escárnio, indiferença, ação unicamente para tirar o dele da reta, e preocupação com o churrasco-pagode do fim de semana.

O que se discute não é a culpa de A ou B, mas a reação absurda das autoridades que foram escolhidas para nos representar. Nauseabundos....

Oriane

Wednesday, August 01, 2007

Lula, o falacioso

Mais um daqueles discursos falaciosos do Lula. Fico sempre chocada com a cara de pau, com as falácias, com a distorção que ele faz da verdade. Nunca antes neste país havíamos visto um governante tão incompetente e tão arrogante. As partes em vermelho são as pérolas dele. Em preto alguns comentários furiosos...

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem em Cuiabá (MT), em evento fechado ao público, não temer vaias. Segundo ele, as ameaças de protestos em solenidades a que pretende comparecer em todo o país não o farão ficar no gabinete em Brasília. Para Lula, a elite não se conforma com as conquistas de um governo dirigido por alguém sem formação universitária. O presidente criticou setores da oposição que, segundo ele, com a derrota eleitoral, não permitem que o Brasil tenha um tempo de união pela governabilidade.

Como sempre, a culpa é da Zelite. Não Lula, o problema não está nas "conquista", até porque não há nenhuma! O problema é justamente a falta delas...
Nós sabemos que nada, nada fará com que Lula fique em seu gabinete em Brasília. Não me lembro de tê-lo visto lá. O negócio dele é andar de avião. Que ironia, não?
Tempo de união para a governabilidade significa, neste jargão falacioso, todo mundo batendo palminhas e concordando com tudo.
Esse cara é muito prepotente e falacioso!!!

— Minha amizade pessoal é uma coisa, questão partidária é outra, relação com os adversários é outra. Mas tem gente que não pensa assim. Essa gente que não pensa assim fez a Marcha com Deus pela Liberdade em 1964, que resultou no golpe militar. Essa gente que não pensa assim levou Getúlio Vargas ao suicídio. Essa gente que não pensa assim ficou contente com 23 anos de regime militar e está incomodada com a democracia.
Porque a democracia pressupõe o pobre ter direitos.

Hã? Então todos que o vaiaram apoiaram o golpe? Uau! Essa é uma falácia típica deste ignorante. Que direitos ele garantiu aos pobres? Igual acesso à justiça ou apenas uma esmola? Direito à esmola eles já tinham antes...só que não era extorquida da classe média.

Lula disse que, como líder sindical, nunca temeu os militares, durante a ditadura, que não queriam a realização de assembléias em porta de fábricas. Para ele, os que desejam vaiá-lo são aqueles que estão ganhando muito dinheiro no país. Ele lançou um desafio aos que organizam manifestações contra ele: — Estou realizando esta solenidade em lugar fechado porque é um ato institucional. Não estou fazendo comício. Mas se alguns quiserem brincar com a democracia, sabem que ninguém neste país consegue colocar mais gente na rua do que eu.

Pronto, começaram as ameaças e os 'nunca antes". Se estão ganhando direito porque vaiam? Nunca vi um discurso tão sem pé nem cabeça!!! Aí, quando fazem besteira adoram apelar para o suposto passado de lutas. Aliás, até nisso ele é malandro. Que eu saiba ele nunca lutou contra a ditadura, nunca foi torturado, apenas lutava por menos trabalho e mais salário. É claro! E ainda descolou uma mesadinha.

Aliás, do que essa gente tanto ri????

Oriane

Férias


Imagens: pôr do sol em João Fernandes e as ostras do Latino...

Este blog andou de férias. Eu fui espairecer em Búzios, apesar da chuva. O único lugar do mundo onde eu como ostras. O único lugar onde as ostras ainda rebolam quando a gente põe o limão...
No dia em que fez sol o pôr do sol estava uma coisa! Atualmente só vou à Búzios fora de temporada. Os que frequentam este blog sabem que tolerância não é o meu forte, por isso prefiro frequentar os lugares quando estão vazios. Frequento Búzios desde bebê, conheço tudo por lá. O que agora espanta e deprime é ver todos os ambulantes falando comigo em espanhol, partindo do princípio que todo mundo por lá é argentino. Tenho um certo orgulho por ser "local". A cidade ainda é linda, mas sofreu a devastação dos administradores brasileiros. No verão falta água, no inverno os turistas são explorados. Mas ainda é um dos lugares mais lindos....
Voltei para a briga, com a corda toda.
Marx foi à Tiradentes, deve estar chegando hoje.
Todos precisamos de um tempo!

Oriane - relax...