Saturday, December 15, 2007

Heteronímia, superego e a sorte dos orcs...




Lembram dos heterônimos de Fernando Pessoa, o genial poeta portuga? Pois bem, atacou-nos síndrome parecida hoje: a psique de Marx, o Groucho, acordou ombro a ombro com uma inusitada alma gêmea, um misto da noiva de Kill Bill com o mascarado de V de Vingança, um toque romântico de Conde de Monte Cristo e um pouco da anarquia de Emília de Rabicó! Claro que não vai dar boa coisa! Essa explosão de personalidades sob a égide de uma só se deve à pressão psicológica que esmaga o cérebro um tanto perturbado de alguém que SOBREVIVE em Banânia e não se submeteu à abdução reinante. O que lhe restou foi um ar fresco de loucura controlada, para não dar muito na vista. A delirante criatura atazanou a mente marxista durante toda a noite, sem dar trégua: "Larga este país, larga este país! A vaca está indo pro brejo, não tem mais jeito! Vai explodir Brasília, vai trucidar o Keiser, o Senado e o Congresso! Não vai sobrar ninguém! Grrr!"
Só que amanheceu, e, como diria o heterônimo furibundo e melancólico, de Pessoa, Álvaro de Campos, acometeu-me aquela visguenta pachorra:

Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã...
Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,
E assim será possível; mas hoje não...
(Adiamento)

Pronto! Saíram ilesos todos os orcs que sufocam Banânia! Essa é a eterna vantagem deles: o nosso superego não permite malvadezas em nome de uma ira santa... Eles sempre estarão à mercê, isso sim, da justiça divina, pois a dos homens já foi para o brejo há séculos...

Marx, o Groucho, tomando vinho do Porto.

5 comments:

Ricardo Rayol said...

eheheheh benvinda ao mundo esquizofrênico

adam said...

Hello I just entered before I have to leave to the airport, it's been very nice to meet you, if you want here is the site I told you about where I type some stuff and make good money (I work from home): here it is

william said...

Marx e Oriane,

Vim desejar Feliz Natal e um Ano Novo livre de esquerdopatas.

bjs.

Frodo Balseiro said...

Somos um povo cordial cá na Banânia, Marx!
Não tivemos guerras, revolução, grande comoção social.
Estamos todos "esperando Godot", ou Dom Sebastião, aboletados numa esperança burra e sem sentido.

A Furiosa said...

Querido William, tudo de bom para você também! Óimas entradas e as melhores "saídas",hehehe!
Abração1
Marx e Oriane