Thursday, September 13, 2007

Máfia, Matrix e elo perdido...


Chantagem dá nisso: com o rabo inexoravelmente preso, o PT manobrou para a absolvição de Renan. É claro que senadores de outros partidos também embarcaram na canoa pelo mesmo motivo mafioso. Ora, pois, pois! Banânia hoje é uma grande corporação mafiosa. Todos os nossos congressistas sabem - sempre!!! - de alguma coisa que pode "abalar Bangu" e, por isso mesmo, ficam fazendo aquele abjeto joguinho do toma-lá-dá-cá, que alguns desavisados confundem com política saudável. Isso não é política, é BANDITISMO! É prática da MÁFIA!
Dissemos aqui e reafirmamos: o Brasil é um prostíbulo mal administrado. Está ficando irrespirável. Para todo lado que a gente olhe lá está esta coisa visguenta, amorfa, debilóide, semi-rastejante, o "brasileiro" - e não venham com as execeções porque elas só confirmam a tenebrosa regra! Essa massa de imbecis se arrasta por todos os lados, agredindo a mais ridícula noção de lógica, atentando contra todas os padrões verbais que permitem um mínimo de comunicação decente. A penúltima que ouvimos, para variar, em sala de aula, "é que a culpa de tudo (???) é dos americanu", um chavão insuportável que, por si só, vale por uma leitura inteira de René Girard, um excelente escritor contemporâneo que vive explicando a teoria do "bode expiatório" para meia dúzia de pessoas ainda cerebradas. Alguém já leu seus textos? Pois é...
Será que nosso mal é genético??? Seremos o tal elo perdido que andou para trás porque teve preguiça de evoluir? Serão Renan Calheiros e seus pares do Senado Federal os protótipos dos "homens do futuro"? Já estamos tomando pílula colorida para sair de Matrix e não percebemos? Fomos internados no hospício e esqueceram de nos avisar?
Lamentável. Não há Bollystolly que de jeito nessa deprê...

Marx, o Groucho

2 comments:

william said...

Marx, perfeito! Fôssemos menos tolerantes com o erro, exigíssemos mais de nós mesmos, dos que nos cercam e dos nossos representantes, jamais um Renan seria eleito para o Senado --presidir aquela Casa, então!

Mas sendo complacentes com o erro, só podemos criar um país assim: onde todos estão de rabo preso com todos. E todos vão imitando os crimes uns dos outros, num mimetismo satânico.

No final, sempre se pode achar alguém com marcas vitimárias mesmo: eles são ricos, eles são uma sociedade com costumes decadentes... com sua simples presença eles geram o mal.

Ricardo Rayol said...

Acho que não houve involução e sim estagnação. Estagnamos no século XIX.