Monday, March 17, 2008

Lá vai o justo contraditório!

Lá vai o texto recomendado pelo nosso querido William, rebatendo o post sobre o garoto - o Portellinha - que foi impedido de estudar etc e tal. Só lembramos aqui que o cerne da questão é o mesmo, tendo em vista um outro episódio ocorrido há mais tempo, em Brasília, de um casal que educou os filhos em casa e depois não conseguiu que eles fizessem uma prova para obter um certificado escolar reconhecido pelo famigerado MEC: tiveram de entrar na justiça para ter o direito de educar a prole com seus próprios recursos e segundo seus próprios padrões de exigência intelectual. O espírito da coisa não muda, apesar das observações rigorosamente pertinentes de um de nossos 400.000 comentaristas. Na verdade não há interesse algum das "otoridades" de Banânia em que os melhores neurônios estudantis cresçam e apareçam sob o signo da batuta familiar. A palavra de ordem é o nivelamento "a nível de" presidência, para que a porção de imbecilidade totalitária seja distribuída igualitariamente pela terra brasilis. E revoguem-se as disposições em contrário, pois, afinal, essa é a Máfia que nos protege, hehehe...



Universitário de oito anos desiste de cursar direito na Unip


Publicada em 08/03/2008 às 18h31mO Globo Online
"RIO - João Victor Portellinha, o garoto de oito anos que foi aprovado para direito no vestibular da Universidade Paulista de Goiás (Unip), em Goiânia, decidiu que não fará o curso. O jovem universitário fora barrado na entrada da Unip, na última quinta-feira , quando tentara entrar na instituição para o seu "suposto" primeiro dia de aula. A decisão foi anunciada durante uma entrevista para o site UOL. (Entenda o caso: Menino de 8 anos passa para a faculdade)
- Acreditamos que a faculdade não mereça o João Victor como aluno já que não teve o respeito de recebê-lo e a responsabilidade de tratar o assunto como algo sério - disse o pai do menino, Willian Ribeiro ao site. Ele descartou entrar na justiça contra a universidade.
Os pais de João Victor chegaram a ir para São Paulo para uma conversa com o diretor geral da universidade, professor José Augusto Nasser. Eles pediram a permissão para que o garoto assistisse às aulas do curso de direito como "treineiro" no campus de Goiânia. (Saiba mais; universidade vai mal na prova da OAB)
O pai de João Victor disse na entrevista para o site que nos próximos dez ou quinze anos será normal garotos com a idade de seu filho cursando uma faculdade, assim como advogados exercendo a profissão com apenas 15 anos.
- A humanidade está evoluida. Para você ver, hoje as crianças já nascem até com dente. Eu sugiro que as universidades particulares comecem a preparar um ambiente para jovens dessa idade. A estrutura da educação está muito arcaica e precisa evoluir - discursou
Apesar de estar um ano avançado na escola, João diz que não se considerar uma criança superdotada, e como qualquer garoto gosta de brincar e jogar futebol. Perguntado por um internauta qual lei ele criaria se pudesse, o menino, que sonha ser juiz federal, disse obrigaria a construção de guaritas em todas as florestas para evitar que as pessoas desmatem a natureza, e também o uso de um filtro no cano de desgarga dos carros.
O ministro da Educação Fernando Haddad classificou a aprovação do menino de preocupante e informou que o secretário de Educação Superior do MEC, Ronaldo Mota, vai avaliar o teste aplicado pela Unip. (Leia também: MEC vai investigar faculdade que aprovou menino de 8 anos).
A família agora aguarda novo calendário de exames vestibulares para que João Victor possa, novamente, disputar uma vaga em outra universidade."

Marx, o Groucho

4 comments:

william said...

Não pensava que fosse receber tão imerecido destaque! Concordo com a condenação à biçeção pelo deproma e destaco que também não quero ser apascentado pelos burocratas do MEC.

Realmente, um diploma não significa muita coisa, pois a maioria dos cursos superiores exige pouquíssimo esforço. Talvez alguns cursos façam mais mal que bem: dias atrás eu mesmo reclamava com um amigo que, na Faculdade, ensinaram-me que não havia Verdade, não havia Justiça, e que só havia poder -- e durante algum tempo acreditei nisso. Caso fossem extintas algumas disciplinas e tivessem suas horas-aula substituídas pela leitura de uns versos de Hesíodo, de Os Trabalhos e os Dias, que passo a citar de memória, o resultado seria muito melhor:
Pois esta lei aos homens o Cronida dispôs:
que peixes, animais e pássaros que voam
devorem-se entre si, pois entre eles Justiça não há;
aos homens deu Justiça, que é de longe o bem maior


Muitos meus colegas se formam sem jamais ter entendido isso, e se numa viagem ao campo encontrassem Hesíodo, que não tinha deproma, acreditariam saber mais que ele.

Ricardo Rayol said...

isso eu tinha lido por alto, nos estates não é incomum crianças entrarem na universidade e, pelo que sei, é legalmente válido. Mas a questão toda não é se ele é ou não inteligente. É a maturidade.

Silvia said...

Olá

Gosto muito do seu blog, e pus um link para você no meu. Eu adoro sua denominação “Banânia”, adotei-a sem pensar duas vezes…apenas alarguei o conceito para toda a região.

Há dois anos atras que desisti de Banânia e moro hoje em Londres, onde estou sendo muito feliz. Aos poucos, ando perdendo a vontade até de visitar, e o que me sobrou de memória bananosa foi apenas uma amargura muito grande. É muito ruim não ter sequer um motivo para orguilho da terra onde a gente nasceu.

Sobre esta questão do garotinho “gênio”, um amigo me contou a história e pediu a minha opinião. Aqui vai ela, tal como respondi a ele:

<< Pode ser que o garoto seja um superdotado. Lembre-se que Mozart compôs uma ópera aos 7 anos. Isso acontece. Mas, como se trata de Banânia, tudo pode acontecer. Acho que o garoto deveria ser examinado, porque se ele for um gênio, fazer isso que o MEC e a OAB fizeram é uma babaquice das gordas e uma violência que detona talentos por toda uma vida.
Mas, pelo jeito…… parece que tá passando uma novela onde tem uma garota superdotada, não? Se isso é verdade, tudo indica que esse caso é mais uma bananada.>>


Eis a resposta do meu amigo:

<< Quanto a sua resposta tb concordo com vc, mas acho que não era o caso. Primeiro porque ele não passou numa Fuvest e em nenhuma Universidade conceituada(Harvard, Oxford), era uma UNIP da vida, ele fez a prova pela internet e uma redação. Neste tipo de faculdade não se é exigido grandes conhecimentos, vide pessoal que trabalha comigo, que cursam as Uninoves da vida e escrevem Estalador ao invés de instalador e tb Bauconista, Marcineiro, Eletrecista, Fixa ao invés de ficha. Ele veio de bons colégios, tem o habito de leitura, entao deve ter feito uma otima redação e quanto ao teste foi de multipla escolha. Não creio que ele seja um gênio, acho que ele é apenas acima da média, e não precisa ser muito acima para entrar nestas faculdades, onde segundo denúncias do Fantástico até analfabeto já foi aprovado.

Acho que Mozart ainda não reencarnou, pelo menos nele.
De qualquer forma ele parece ser uma criança inteligente e como tem boa família e boa formação vai chegar lá. O patético foi o mesmo ir à faculdade, todo de terninho e gravata, parecia um hominho e ser barrado. Mas os pais dele incentivaram esta cena ridicula porque a faculdade falou que não ia aceitar a matrícula.>>


Concordo com você sobre a falta de respeito com a educação, entendo e respeito demais seu ponto de vista, mas infelizmente, nada em Banânia pode ser levado a sério, portanto esta história do “geninho” não é séria também…é mais uma bobagem!

Se quiser conhecer meu blog, aqui vai o endereco:
http://cronicasdoreino.blogspot.com/

Tudo de bom!!!

Anonymous said...

Não pude resistir, lendo isso e recebendo o que se segue abaixo :

KIT FALTA DE VERGONHA

Vai transar? O governo dá camisinha.
Já transou? O governo dá a pílula do dia seguinte.
Engravidou? O governo dá o aborto.
Teve filho? O governo dá o Bolsa Família.
Tá desempregado? O governo dá Bolsa Desemprego.
Pegou Aids? O governo te dá tratamento e apoio.
Está preso? O governo te dá boa comida, repara os danos que você faz no presídio, te oferece direitos

humanos.
Vai prestar vestibular? O governo dá o Bolsa Cota.
Não tem terra? O governo dá a Bolsa Invasão e ainda te aposenta.

Mas experimenta estudar e andar na linha pra ver o que é que te acontece!

Eu, NNF, cada vez mais impressionado com o ego do fulano !